Super Vicki

ESTAMOS EM PROCESSO DE MUDANÇA PARA NOVO ENDEREÇO:

http://espanador80.xpg.uol.com.br

NOVO E-MAIL:

espanardor80@gmail.com

 


Para melhor visualização deste site, faça o seguinte: na área de trabalho, aperte o botão direito do mouse e clique em PROPRIEDADES para acessar a parte de PROPRIEDADES DE VÍDEO; em seguida clique em CONFIGURAÇÕES onde você encontrará embaixo a opção RESOLUÇÃO DA TELA onde você colocará para MAIS (1024 por 768 pixels). Na barra de ferramentas do Internet Explorer, clique em EXIBIR. Vá em TAMANHO DO TEXTO e clique em MÉDIO.

Última modificação: 19 janeiro, 2016

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

POST MORTEM

 

 

 

 

O seriado Small Wonder tinha que ter ido para o caixão antes da hora? Levando-se em consideração minha experiência a reposta para esta pergunta é um ressonante... NÃO!

 

Os índices de pesquisa de audiência estavam despencando, mas mesmo assim melhores do que os da maioria das curtas primeiras temporadas de série que fervilhavam na TV da época. Vale ressaltar que esse suposto baixo índice era resultante de crianças, mães, técnicos e fãs de ficção científica que, embora apreciassem Small Wonder, tinha vergonha de admiti-lo em público, inclusive durante pesquisas de opinião. Formalmente, a Fox, com nova rede de contatos de trabalho e lançando uma dúzia de novos programas como Indian Clubs, simplesmente achando que Small Wonder "correu fora do gás", sem consultar os mais espirituosos roteiristas independentes, cujos roteiros muitas vezes rejeitados, de tão alta qualidade, poderiam ter colocado o seriado no ar até a 8ª ou 9ª temporada! O espetáculo oscilou no meio da obrigação de desempenhar um papel meramente de show infantil ou evoluir dentro de um seriado popular e familiar debaixo da pressão dos fãs, mas a maior parte esqueceu um 3° elemento.

Há um perpétuo desejo ardente na comunidade científica por personagens andróides/robôs em alto patamar e Small Wonder pode ter saciado esta necessidade dentro da preferência de audiência. Isso alterou significativamente o tom do show, mudando-o de comédia pura para algo mais próximo da realidade, seguindo a linha dos seriados The Facts of Life e Different Strokes, o que não poderia ser diferente já que o criador de Small Wonder também é criador desses seriados. Uma das marcas que Small Wonder deixou na ficção televisiva, foi sua proximidade com a realidade técnica atual, e uma de suas falhas principais foi no fato de não explorar os temas de cunho sociais e ficção científica de forma mais ampla. Dos episódios que foram ao ar, mais de 40% dos temas não puderam ser aproveitados em outras séries de comédia apenas por causa do papel de Vicki. Foram os roteiros grandiosamente elaborados que bombearam seu papel embora o potencial dos roteiros descartados poderiam facilmente ter chegado à marca dos 90%. Em outras palavras, os produtores de Small Wonder não puderam ver maiores potenciais sociológicos de ficção científica.

A mágica em se fazer o programa Small Wonder não estava tanto centrada nas habilidades de Vicki, mas na influência que ela provocava nas pessoas e nos eventos ao seu redor. Os episódios "Grandpa Lawson," "I Hear You," e "The Wonder Worker" foram os principais exemplos que provaram esse fenômenos intrigante. Se alguém sabe como um cão afeta uma família de forma sutil, imagine adaptar-se a uma "personificação interativa" que olha e fala com "outro" ser humano, que limpa a casa todos os dias. Você não a consideraria meramente uma máquina sendo ela talvez uma "criança" taciturna e de movimentos suaves, mesmo sendo constituída de porcas e parafusos. Com relação a isso, a 1ª Temporada foi um verdadeiro estudo comportamental do que seria uma verdadeira Vicki e como uma família se adaptaria a ela, especialmente a mãe Lawson - Joan. Ironicamente, a maioria dos obstinados técnicos e roteiristas viram a ida de Vicki para a escola e o começo de sua vida social como algo supérfluo e ineficaz ao seu conceito robótico; a idéia em voga era considerar a inteligência de  Vicki como sendo nada mais do que de uma tagarela (em acordo com a maximização da tecnologia da época). Tudo isso causou muito descontentamento e atrito entre os roteiristas e foi uma das razões para a evolução de Vanessa Lawson.

Nessa história, haveria outras "moscas na pomada". As crianças estavam cansadas de estereótipos juvenis e Tiffany Brissete estava simplesmente longe disso para algumas. Quanto aos atores mais velhos, mesmo veiculado através das cartas dos fãs que as crianças do seriado eram o alvo da atenção dos telespectadores, houve uma tendência em colocar mais textos e cenas entre adultos, sendo que podiam ter sido clonadas do seriado Full House (no Brasil, Três é Demais), como no episódio "The Strike" onde o papel de Vicki é bastante periférico. De um jeito ou de outro, eles acabaram esquecendo que o programa girava em torno da menina.    

 

 

 

ESTAMOS EM PROCESSO DE MUDANÇA PARA NOVO ENDEREÇO:

http://espanador80.xpg.uol.com.br

NOVO E-MAIL:

espanardor80@gmail.com

 

 

Acesse também: